1 ... 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Um adolescente de 16 anos de idade, que morava em Campina Grande, morreu ontem pela manhã com sintomas da leptospirose. Ele estava internado no Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC), aonde havia dado entrada no dia anterior. “Estamos esperando o resultado da sorologia que está sendo feita na sede da Funasa em Patos, mas ele apresentava os sintomas da doença quando chegou ao hospital”, disse a médica infectologista Sônia Souza.
Os sintomas são febre alta, fortes dores de cabeça, calafrios, dores musculares, vômitos, icterícia, olhos congestionados, dor abdominal, diarréia ou coceira. As complicações incluem falência renal, meningite, falência hepática e deficiência respiratória, o que caracteriza a forma mais grave da doença, conhecida como doença de Weil ou síndrome de Weil. Em casos raros ocorre a morte.

CAUSAS

A leptospirose é causada por uma bactéria, a Leptospira interrogans, que é eliminada através da urina de animais, principalmente, na do rato de esgoto, e sobrevive no solo úmido e na água.  As inundações facilitam o contato da bactéria com seres humanos. A bactéria pode penetrar no organismo através do contato da pele e de mucosas com a água e a lama das enchentes. A infecção também pode ocorrer por ingestão, uma vez que as inundações podem contaminar a água de uso doméstico e os alimentos. As manifestações, quando ocorrem, aparecem entre 2 e 30 dias após a infecção.


Já foram registrados seis casos de leptospirose na Paraíba nos primeiros meses deste ano, metade do número registrado em todo o ano passado. Duas pessoas morreram.
A Secretaria de Saúde do Estado lançou alerta para o aumento do risco de contágio de doenças como dengue, leptospirose e hepatite em conseqüência das chuvas no Estado.
De acordo com Dionéia Garcia, gerente-executiva de Vigilância em Saúde do Estado, um caso ocorreu em João Pessoa, um em Guarabira e quatro em Picuí. A questão será discutida com os prefeitos do Estado em reunião convocada para hoje pelo governador Cássio Cunha Lima, que será realizada no Espaço Cultural, em João Pessoa.
No Brasil, a maioria das infecções ocorre através do contato com águas de enchentes contaminadas por urina de rato. A questão é agravada pela ineficácia ou inexistência de rede de esgoto e drenagem de águas das chuvas e a coleta de lixo inadequada. Por esse motivo, a doença atinge, principalmente, a população das periferias das grandes cidades, que é obrigada a viver em condições que tornam inevitável o contato com roedores e águas contaminadas.
Segundo a gerente-executiva de Vigilância em Saúde do Estado, Dionéia Garcia, as medidas para combate da doença são: evitar contato com água empossada nas ruas e lama, lavar os reservatórios de água com água sanitária, colocar o lixo em sacos plásticos e usar luvas ao desentupir esgotos ou fossas. (Da Redação)

Data: 11/04/2008



Já são sete as entidades engajadas em campanhas em solidariedade às vítimas das enchentes causadas pelas chuvas no Sertão da Paraíba. Além do apoio dos governos federal e estadual e do Exército Nacional, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), a Polícia Rodoviária Federal da Paraíba (PRF), a Associação de Maçons do Estado da Paraíba (Aempb) e a Unimed estão arrecadando roupas e alimentos para os mais de 16 mil e 300 desabrigados e desalojados pelas águas. As doações serão distribuídas para os municípios mais atingidos, utilizando inclusive, helicóptero para levar os mantimentos às áreas de acesso mais difícil.
Para ajudar essas vítimas, a Prefeitura Municipal de João Pessoa promoverá amanhã uma grande mobilização com a disponibilização de 12 postos de arrecadação de alimentos e agasalhos para as vítimas das chuvas e enchentes. As equipes, distribuídas pelos bairros mais populosos da cidade, estarão recebendo os mantimentos das 8h às 17h. Além da campanha, o Banco de Alimentos do Município já garantiu 30 toneladas de feijão que também serão entregues às famílias desabrigadas. “Vamos todos mostrar nossa solidariedade”, incentiva o secretário de Desenvolvimento Social Alexandre Urquiza.
Os mais de 5 mil maçons associados à Associação dos Maçons do Estado da Paraíba também foram convocados a participar do movimento de arrecadação. Segundo o presidente da Aempb, Antônio Sebastião do Nascimento, a capital já dispõe de dois postos de coleta e outros novos pontos sendo disponibilizados pelos maçons do Estado. “As três ordens maçônicas – Grande Loja Maçônica, Loja Grande Oriente do Brasil e Grande Oriente da Paraíba – estão reunidas para ajudar a população em situação de crise das regiões ribeirinhas. Também estamos convocando os maçons de Patos, Sousa e região do Sertão para se unirem urgentemente a esse trabalho, já que a carência do povo é muito grande”, informa o presidente.
Para a coleta de roupas e alimentos não-perecíveis, a campanha Sertão Urgente, promovida pela Polícia Rodoviária Federal está disponibilizando mais 11 postos distribuídos pelas BRs 230 e 101. A primeira ação de mobilização da campanha está prevista para a próxima segunda-feira e pretende envolver servidores, voluntários e empresas parceiras. Porém, desde a última terça-feira, o helicóptero da PRF está em Sousa auxiliando no resgate das vítimas das chuvas, transportando donativos e médicos para as avaliações clínicas das famílias ilhadas.
A Unimed João Pessoa, através do instituto de responsabilidade social Unigente, reforça a campanha de doação junto aos médicos cooperados, colaboradores e fornecedores. A estimativa é incentivar mais de 3 mil pessoas ligadas à empresa para ajudarem na arrecadação de roupas, agasalhos e mantimentos. A instituição também apoiará a ação promovida pela Prefeitura Municipal de João Pessoa amanhã, disponibilizando voluntários para as tendas de recebimento dos produtos, que ainda podem ser entregues na sede da Unigente, na Torre.

 Pontos para entrega de roupas e alimentos

PRF

Posto PRF de Bayeux


BR 230, km 32 (Bayeux)
Posto PRF de Mata Redonda
BR 101, km 107 (Alhandra)
Posto PRF de Café do Vento
BR 230, km 70 (Sobrado)
Posto PRF de Mamanguape
BR 101 Norte, km 38 (Mamanguape)
Posto PRF de Santa Terezinha
BR 230, km 144 (Campina Grande)
Posto PRF de Queimadas
BR 104, km 142 ( Queimadas)
Posto PRF de São Miguel
BR 104, km 93 (Remígio)
Posto PRF da Farinha
BR 230, km 183 (Campina Grande)
Posto PRF de São Mamede
BR 230, km 310 (São Mamede)
Posto PRF de Pombal
BR 230, km 407 (Pombal)
Posto PRF de Cajazeiras
BR 230, km 512 ( Cajazeiras)

Unimed e maçonaria

Unimed (Sede da Unigente). Av. Marechal Deodoro da Fonseca, 401 - Torre


Loja Maçônica Branca Dias
Avenida General Osório, 410 - Centro
Assoc. de Maçons do Estado da Paraíba. Rua Francisco Manuel, 422 – Jaguaribe

Dostları ilə paylaş:

©2018 Учебные документы
Рады что Вы стали частью нашего образовательного сообщества.

Situação no interior é preocupante - Projeto de pesquisa

səhifə11/12
tarix25.10.2017
ölçüsü439.07 Kb.

Situação no interior é preocupante



No interior do Estado, a situação ainda é preocupante por causa das previsões de mais chuvas para toda a Paraíba. Em Cabaceiras, no Cariri, o prefeito Ricardo Aires está tomando as medidas urgentes para amenizar os danos causados pelas chuvas e já está viabilizando a solicitação de recursos do governo federal para recuperar parte da cidade e ajudar a população atingida. “Esperamos, de início, receber uma ajuda de R$ 260 mil para as primeiras ações, depois mais R$ 300 mil para amenizar os prejuízos”
Aires declarou que além da ajuda financeira, a Prefeitura vai tentar junto ao governo do Estado a construção de uma ponte na PB-148, que teve vários trechos rompidos com as enchentes. Segundo ele, o acesso para Boqueirão já está liberado para a passagem de carros, através da recuperação de dois trechos danificados. O prefeito disse ainda que as famílias desabrigadas continuam sendo assistidas pela Prefeitura com todos os atendimentos necessários e estão acolhidas em abrigos provisórios, como escolas, casas alugadas, ou de parentes.
O Centro Histórico da cidade ainda continua com água, impedindo os moradores de retornarem para suas casas. “Aos poucos a situação vai se normalizando e se as chuvas derem trégua, conseguiremos acabar com os transtornos mais rápido”, declarou.
Em Sousa, no Sertão paraibano, o Exército ainda está dando apoio à força-tarefa do governo estadual, ajudando as famílias desalojadas e desabrigadas. De acordo com o secretário-executivo de Infra-Estrutura do Estado, Guaray Martins, ontem o nível do Rio Piranhas baixou um pouco, mas as famílias ribeirinhas ainda não pensam em retornar às suas casas.
“Enquanto as chuvas continuarem intensas na região, as pessoas permanecerão acolhidas nos abrigos”, declarou Guaray. (Rosângela Araújo)

  • Sobe para 26 o número de mortos



Um novo relatório divulgado pela Defesa Civil da Paraíba revelou que o número de mortos aumentou de 25 para 26 em decorrência das fortes chuvas sobre o Estado. A quantidade de pessoas afetadas também subiu. Na segunda-feira, era 18.496 e ontem chegou a 19.491 pessoas, um acréscimo de 995 pessoas vítimas de enchentes ou chuvas. O boletim mostra ainda que a Paraíba já tem 11.870 desalojados e 3.723 desabrigados.
A nova morte foi registrada no município de Sousa. Do total de 26 mortes, seis aconteceram em Itabaiana, quando um grupo de jovens foi arrastado pela força das águas do Rio Paraíba, no último dia 29 de março. Boqueirão registrou quatro mortos devido às chuvas que caem no município. Olho d’Água, Santa Rita e São José de Pinharas contabilizaram dois mortos em cada uma dessas cidades. Enquanto Brejo da Cruz, Cabaceiras, Desterro, Juru, Nova Olinda, Patos, Pombal, São Mamede e Soledade tiveram um habitante morto em decorrência das precipitações sobre essas nove cidades.
O relatório traz vários números sobre a situação das cidades paraibanas. A quantidade de desabrigados, que até segunda-feira era 3.372, subiu para 3.723 nesta terça-feira, um acréscimo de 351 pessoas residindo em prédios públicos de forma provisória. A população desalojada pelas enchentes de rios ou chuvas teve uma subida pequena. No relatório de ontem, era 11.870 e no anterior atingia a casa dos 11.860 desalojados, que são os moradores que foram obrigados a sair da própria casa para a residência de parentes ou amigos. Os números do documento contabilizam os danos provocados desde o dia 20 de março até ontem.
“Esse relatório é diário e a mudança dos números ajudarão na definição de novas estratégias para socorrer as pessoas e permitirão uma análise do que estamos fazendo para reduzir os danos causados nas cidades paraibanas. Nós faremos novas ações conforme prioridades que detectarmos nos municípios, como aumento da população desabrigada e desalojada”, afirmou o secretário-executivo de Infra-Estrutura, Guaray Martins. Ele declarou que todas as prefeituras receberam alerta da Defesa Civil para que fiquem de prontidão em possíveis casos de enchentes ou danos provocados pelas chuvas. (Bartolomeu Honorato)

  • Defesa Civil Nacional vai distribuir alimentos para vítimas das chuvas


Data: 10/04/2008



  • BARTOLOMEU HONORATO



O secretário nacional da Defesa Civil (Sedec), Roberto Guimarães, anunciou ontem, durante reunião no Palácio da Redenção com o governador Cássio Cunha Lima, que vai distribuir nas próximas 48 horas, 115 toneladas de alimentos para os desalojados e desabrigados em função das fortes chuvas que caem sobre a Paraíba. Também serão distribuídos medicamentos, cobertores, lençóis, colchões e filtros de água para socorrer a população dos municípios prejudicados. O governador do Estado, Cássio Cunha Lima, anunciou que vai disponibilizar mais recursos financeiros para custear os prejuízos ocasionados pelas águas e convocou os 223 prefeitos para unir forças em prol dos paraibanos afetados pelos temporais e enchentes no interior.
“O Estado da Paraíba, do Maranhão e Ceará são os mais castigados. “Primeiro o governo federal vai dar socorro e assistência, com a destinação de aparatos necessários para que se possa recuperar a auto-estima das pessoas, como colchões e cobertores. Em um segundo momento, o esforço será concentrado obras de recuperação nas cidades atingidas pelas chuvas. Em terceiro,  iremos investir na parte de obras de prevenção aos desastres nos três Estados”, declarou o secretário Nacional da Defesa Civil, Roberto Guimarães.
De acordo com o secretário, o governo federal tem acompanhado, através de  relatórios encaminhados pelo governo da Paraíba, o tamanho dos estragos deixados pelas chuvas e enchentes no interior paraibano, como número de mortos, quantidade de pessoas desalojadas e desabrigadas. A previsão da Secretaria Nacional da Defesa Civil é a distribuição de 25 mil cestas básicas para atender os Estados nordestinos afetados pela força das águas. Roberto Guimarães disse que o presidente Lula liberou R$ 600 milhões para atender os nordestinos vítimas das chuvas. O valor que virá para a Paraíba ainda não foi divulgado.

  • Santa Luzia contabiliza os prejuízos



A Prefeitura de Santa Luzia começou o levantamento dos estragos causados pelas chuvas na cidade. Na zona rural foram identificados mais de 300 quilômetros de estradas danificadas e em péssimas condições de trânsito. Sete açudes das comunidades Bom Lugar, Ponta de Serra, Pinga e Boqueirão, com rompimentos e estragos, e dois bueiros na Comunidade de Boqueirão.
 Na zona urbana, até o momento, a prefeitura conseguiu levantar os seguintes dados: avaria em 650 m² de calçamento; 428 m linear de meio-fio; 34 casas destruídas, parcialmente destruídas ou danificadas; 450 m² de muros caídos e/ou danificados.
E mais, 328 privadas domiciliares danificadas/destruídas; 200 fossas sépticas estouradas; 2.000 metros lineares de rede de esgotos (diâmetro de 400 mm) danificados e/ou destruídos; assoreamento da lagoa de estabilização da rede de esgoto.
Segundo o chefe de Gabinete da Prefeitura de Santa Luzia, Francisco das Chagas, a administração local já expediu ofício à Defesa Civil do Estado da Paraíba, assim como aos demais órgãos competentes informando as condições da cidade.

  • Sumé: açude está perto de sangrar



O açude público de Sumé pode sangrar a qualquer momento e a  população teme que as águas possam novamente alagar as ruas da cidade, repetindo o ocorrido em 1985, quando o manancial sangrou pela última vez.
Com a possibilidade do açude vir a sangrar, a população que reside no bairro de Várzea Redonda e nas proximidades da ponte que dá acesso ao bairro, teme novos alagamentos, pois o leito do rio, por onde as águas descem após o sangradouro, está cheio de algarobas e lixo, e com a chegada das águas, pode transbordar e inundar a parte baixa da cidade.  O açude é administrado pelo Dnocs que, através da direção, já avisou que nada pode fazer. A Secretaria de Obras de Sumé, vem construindo algumas barricadas desde o final de semana, como forma de impedir o avanço das águas.
Para aumentar ainda mais a aflição dos moradores da região ribeirinha, o açude São Paulo,  no município de Prata, começou a sangrar no início da semana e as águas desembocam para o açude de Sumé, o que vem aumentando o volume de água. Até ontem, 72 açudes estavam sangrando no Estado. Com informações de Fred Menezes

  • Obras na BR e transposição param



O Exército suspendeu por tempo indeterminado as obras de duplicação da BR-101 em decorrência das fortes chuvas que vêm ocorrendo na Paraíba. Os militares trabalham agora apenas na recuperação da vegetação nativa afetada pela obra.
O projeto de duplicação está nas etapas de terraplenagem e concretagem que ficam inviabilizadas em tempo chuvoso. De acordo com o chefe maior do 1º Grupamento de Engenharia, coronel Marcos de Oliveira, é responsabilidade do Exército cerca de  42 dos 129 quilômetros da obra, correspondente à colocação de concreto e recuperação do pavimento antigo.
Segundo o comandante do Primeiro Grupamento de Engenharia, general Jorge Fraxe, 20 quilômetros da duplicação já estão prontos e não haverá atraso no cronograma em decorrência da paralisação, pois a parada no inverno já havia sido prevista na elaboração do cronograma.
A obra teve início em dezembro de 2005 e, segundo o general Fraxe, “a meta para o primeiro semestre era avançar 22 quilômetros, mas os serviços estão dentro do prazo e acredito entregarmos no final deste ano 80% da rodovia duplicada”.

SÃO FRANCISCO


Nos municípios de Floresta e Cabrobó, no Sertão de Pernambuco, onde tiveram início as obras de transposição de águas do rio São Francisco, as atividades também estão paradas. As obras começaram há 8 meses e fazem parte da primeira etapa do eixo leste do projeto de transposição.


O eixo começa na cidade de Floresta  e vai passar por alguns outros municípios até chegar à Paraíba. O eixo norte, que começa em Cabrobó, vai levar a água para parte de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte
O projeto de transposição do rio São Francisco consiste na transferência de águas para abastecer pequenos rios e açudes da região Nordeste que possuem um déficit hídrico durante o período de estiagem. (Da Redação)   

  • Árvore cai e atinge casa na capital



 A chuva que caiu na madrugada e durante a manhã de ontem em João Pessoa trouxe transtornos   para os moradores de vários bairros da capital paraibana. A situação mais preocupante aconteceu no Loteamento Nova Mangabeira, no bairro do Valentina Figueiredo, onde a água derrubou uma árvore que caiu em cima de uma residência. O Corpo de Bombeiros precisou retirar quatro famílias que moravam na área afetada, nenhum morador foi atingido.
O desmoronamento aconteceu por volta das 4h30 quando a residência que fica na encosta de uma barreira e às margens do rio Cuiá, na localidade conhecida como rua do Buraco, foi atingida pela queda da árvore, provocando a destruição total da cozinha. Quatro pessoas estavam no interior da casa e correram assustados ao ouvirem o barulho.
Outras duas moradias ao lado da residência também foram afetadas e ficaram com a estrutura comprometida. De acordo com a moradora Maria Ilza da Conceição Silva, se as chuvas continuarem não dá para ficar dentro de casa.
Segundo o tenente Lucas Medeiros do Corpo de Bombeiros, quatro pessoas, entre elas três mulheres grávidas e uma criança, foram encaminhadas para a Maternidade de Mangabeira para receber atendimento médico. “Apesar delas não terem sofrido nenhum ferimento, elas ficaram muito assustadas e o melhor foi  conduzi-las para o hospital”, informou o tenente.
O coordenador da Defesa Civil Municipal, Manoel Duré, esteve no local e informou que as quatro famílias que residem nas três residências afetadas foram transferidas para o Centro de Cidadania de Mangabeira. “Elas estão sendo levadas para um abrigo temporário onde receberão alimentação e assistência médica”, ressaltou. Segundo o coordenador, a área atingida pelo desmoronamento não estava cadastrada pela prefeitura. “Esta é uma área de invasão onde não deveria haver construção de casas”, alertou.
CAMPANHA

A Prefeitura de João Pessoa e a Polícia Rodoviária Federal estarão  se mobilizando para auxiliar as vítimas das fortes chuvas que estão caindo no Estado. Com o slogan ‘Somos Todos Paraíba – João Pessoa Solidária’, a prefeitura, num trabalho que envolve todas as suas secretarias e órgãos, realiza durante todo o próximo sábado uma grande campanha para arrecadação de alimentos e agasalhos. Já a  PRF inicia, na próxima segunda-feira, a Campanha “Sertão Urgente” para doações de roupas e alimentos não perecíveis. Os paraibanos estão convidados a ajudar e as doações poderão ser feitas nos 11 postos da PRF na Paraíba. (Luzia Santos)



  • Governador vai liberar verbas



O governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima, manteve a decisão de não investir recursos governamentais em eventos culturais e em festividades por todo Estado. Ele disse que vai liberar novas verbas para socorrer os paraibanos vítimas das chuvas, mas não revelou os valores. “O fundamental é socorrer com alimentos, água potável, medicamentos e abrigos provisórios os desabrigados do Estado. Os desalojados, que também precisam de assistência, terão prioridade nesse momento. Na seqüência vamos ter que recuperar os danos materiais, como estradas, açudes e cuidar de forma atenta dos problemas vinculados à dengue, leptospirose e qualquer outro tipo de doença que possa se transformar em epidemia”, afirmou o governador, acrescentando que não há como prever o valor dos prejuízos no Estado.
Cássio convocou os 223 prefeitos paraibanos para uma reunião na próxima sexta-feira, às 15 horas, no Espaço Cultural. O objetivo do encontro é alertar os gestores municipais sobre os problemas decorrentes das chuvas.

RELATÓRIO


A Defesa Civil da Paraíba divulgou ontem um novo relatório sobre os estragos deixados pelas chuvas e enchentes no Estado. O número de pessoas afetadas pela força das águas subiu de 19.491, nesta terça-feira,  para 20.373 na quarta-feira. A quantidade de desalojados foi de 11.870 para 12.425 pessoas. O número de desabrigados subiu de 3.723 para 3.873 em todo o Estado. A quantidade de mortos continua em 26. (BH)


  • Áreas atingidas receberão recursos do Garantia Safra


Data: 10/04/2008



  • PAULA BRITO



A Emater vai cadastrar as áreas paraibanas atingidas pelas chuvas para saber quais foram os prejuízos e garantir os recursos do Programa Garantia Safra, que contemplará, por meio de uma medida provisória do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os produtores nordestinos que perderam as lavouras durante as enchentes.
A informação foi repassada pelo secretário da Agropecuária e da Pesca da Paraíba, Francisco de Assis Quintans. “Vamos identificar as áreas que foram atingidas e estão encharcadas pelas chuvas, no sentido de efetivar os recursos do Garantia Safra para os agricultores que perderam as lavouras, principalmente no Alto Sertão”, disse.
A ampliação do Seguro Safra para os agricultores vítimas das chuvas foi anunciada na última segunda-feira durante uma reunião do presidente Lula com os governadores das cidades nordestinas atingidas pelas chuvas.

REUNIÃO

O presidente da Emater-Paraíba, Nivaldo Magalhães, estará em Brasília, nos dias 23, 24 e 25, deste mês, participando de mais uma reunião patrocinada pela Secretaria da Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário que vai definir as diretrizes e o orçamento do Departamento Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural para o período de 2008/2009. O objetivo é a implantação de uma política inteiramente voltada para a agricultura familiar, principal programa do governo federal para o meio rural brasileiro.
A reunião deve contar com a participação de representantes das entidades de assistência técnica e extensão rural de todos os Estados, órgãos que cuidam da execução da política do governo para as famílias que se dedicam à agropecuária, nos termos dos programas definidos para a área pelos governos e que recebem recursos do Ministério do Desenvolvimento Agrário, através da Secretaria da Agricultura Familiar.


  • Jovem morre com suspeita de leptospirose


Data: 11/04/2008



  • PAULA BRITO




    

PACIENTE - Hospital Universitário espera o resultado da sorologia para confirmar se morte foi causada por leptospirose
?


research-and-intelligence-16.html

research-and-intelligence-20.html

research-and-intelligence-25.html

research-and-intelligence-5.html

research-and-intelligence.html